Copyright 2010 Mestre Arfaern. All rights reserved. Web Hosting by Yahoo

Mestre Arfaern, São Paulo, São Paulo , Brazil
dom@mestrearfaern.com

             O despertar (EX) {Miir}_Mestre Arfaern


23/10/2012


31 Anos em busca eterna...

A busca incessante  que me afligia para que o inexplicável acontecesse teve seu fim.

Criada em disciplina rígida e vivendo conforme as regras impostas pela sociedade. Essa sou eu.. ou era ...
Doce tímida dona e uma  capacidade de amar e cuidar com total dedicação e devoção. Qualidades essas
apenas reconhecidas e admiradas por homens com a mesma criação.. Não comum nos tempos atuais
sabemos disso.

E claro  por Alguém que tem o poder o domínio em seu sangue como parte de sua existência. Porem, só
vim a conhecer essa possibilidade  agora  já amadurecida e ainda com traços de ingenuidade.

Conheci Mestre Arfaern.

Intrigada levada por uma leitura onde abordava o assunto Dom/Sub, estava ali um Dom de verdade
alguém  real  forte e imponente  quase surreal. Envolvida  em instantes estava a chamar um homem de
Senhor, “meu Senhor”

Já sobre seu domínio  por semanas e consciente da decisão que estava tomando rendendo-me a submissão
a servidão total e completa  ao homem  que  era agora meu dono.

O despertar

Em 18/10, enfim o grande dia data que  marcaria minha vida para sempre. O despertar para minha nova
realidade o despertar de uma mulher ocultada.

As horas que se antecederão ao encontro foram de euforia regada por medo desconforto, eu tremia mãos..
Corpo  não estava de fato preparada mas eu o queria com todas as forças da minha alma e estava decidida.

Atencioso e se divertindo com o meu nervosismo. Fomos para o local escolhido por ele.

Ao chegar  descemos do carro eu não sentia minhas penas e ao ver ele tirando  do porta malas uma bolsa
grande e uma outra comprida com todos os chicotes eu descobriria que eram chicotes mais tarde, eu já não
sentia meu pulso  e minha respiração faltava.

O medo crescia com os degraus a proximidade da porta.

Aporta se fechou a nossas costas. Estávamos ali  era real e concreto o clima era palpável, ele  me beijou
quando entramos com carinho foi doce e atencioso,me pediu para ir ao banheiro me preparar (tirar a
roupa), mas concordou que eu ficasse de lingerie e meias 7/8. me sentei na cama, eu não sabia o que dizer
ou  que fazer. Enquanto ele abria a bolsa atento a minha reação, trouxe dois chicotes de quitação de couro
a coleira  escolhida por mim algemas e venda e os colocou a disposição  para que eu os olhasse. Começou
a me preparar. Primeiro  a coleira pó selar de sua posse. Em seguida meus pulsos com algemas,  - eu
estava presa nervosa mas confiante no meu dono. Vendada  agora  na escuridão e com todos os sentidos
em alerta,   

ele disse : - Não pode se mover,  ver, só vai sentir... as palavras dele me arrepiaram estava entaregue ao
desconhecido entregue ao meu dono.

ele disse: - fique de 4 na cama ordenou. -  vou inspecionar você! - eu o obedeci sem ver nada

ele me disse: - use as palavras se precisar e eu paro com tudo.

Podia sentir ele me observando estava tímida e temia que não o estivesse agradando  estava
completamente insegura eu não podia decepciona-lo

Ele veio a minha frente já despido e cheirava tão bem, era um aroma doce  limpo ... ele me beijo e em
seguida pude sentir seu membro na minha boca eu o  chupei com toda vontade eu podia ouvir ele
gemendo estava gostando....o medo foi dando espaço ao desejo que agora era ainda maior

Então foi por trás de mim e tirou minha lingerie com total habilidade  eu senti o tecido escorregando  eu
estava nua .

Ouvi Lançar o chicote no ar  preciso,  passou pelas minhas costas suave percorrendo ate minhas coxas.

- Esta se preparando para a dor ele perguntou

-Sim mestre.  respondi.

Ele empunhou o chicote no ar e lançou contra minha carne três vezes

- Dói? ele perguntou..consenti com a cabeça me deu mais duas palmadas e me penetrou rápido e seguro
minha dor o  excitou... num ritmo enlouquecedor me disse para avisar quando fosse gozar  ele se movia
dentro de mim logo suas mãos vieram sobre meu rosto tampando boca e nariz .  

– E se não pudesse respirar como seria ? ele disse  eu não podia respirar eu não podia evitar esta
imobilizada e entregue e aquilo estava e fato acontecendo ! o orgasmo se construía dentro e mim e ele
liberou a mão  e assim o fiz meu primeiro orgasmo em uma relação com ele dizendo - isso goza no dono ..
suas palavras .. minha perdição em um orgasmo violento.

ele saiu de mim e me pediu pra virar ainda algemada e vendada ele se colocou dentro de mim me fazendo
gozar com sua permissão mais  uma vez então com os braços acima da cabeça com as pernas presas nele
ele colocou um travesseiro em baixo do meu bumbum e o penetrou devagar eu gritei

- esta doendo?  Sim muito respondi. ele se moveu lentamente e perguntou novamente me beijou parou de
se mover por alguns segundos. Era um misto de dor e prazer tocada em um lugar nunca antes tocado por
ninguém Ele se moveu novamente já não era insuportável

- Que delicia virgenzinho e meu só eu vou ter ele assim.  - Primeiro e único, sua respondi.

Parava e continuava pra que eu acostumasse com a dor e era incrível eu sentia ele me abrindo   estava
loucamente dolorida  meu dono me beijando segurando minhas mãos com o corpo sobre o meu me
imobilizando então investiu com forca se colocando todo dentro de mim e gozando se colocou ao meu
lado  permitiu que eu tirasse a venda e eu estava dolorida extasiada e feliz ..forte e doce dominador e
carinhoso muitos homens em um, ele depois foi tomar banho voltou me soltou das algemas para que eu
pudesse fazer o mesmo  eu me olhei no espelho  e não era eu não era a mulher que entrou naquele quarto
não parecia real  eu estava amedrontada e  sedenta por ele novamente meu corpo doía  minha cabeça
estava tonta  eu não sabia o que mais poderia acontecer quando voltasse  para o quarto.

Quando voltei conversamos ele me mostrou todas as coisas na mala e os chicotes um por um todos
artefatos  lindos e doloridos testou alguns na minha pele dor e prazer ...logo me algemou de novo pés com
algemas e correntes colocou na porta um acessório com tiras pra me prender a elas com os braços acima
de frente novamente algemada encoleirada vendada presa a porta eu so poderia implorar ... ele me
fotografou me virou de costas pra ele e prendeu meus dedos com algema de dedos também mais presa
impossível ele me perguntou sobre velas perguntou se tinha isqueiro pegou na minha bolsa e acendeu a
vela  eu não vi, apenas ouvi e senti o cheiro da .

Pingou a vela nas minhas costas de cima a baixo aos poucos me perguntando sobre a dor sentia o cheiro
da vela queimada minhas costas ardendo suas mãos afastando meu cabelo, depois que parou foi
removendo aos poucos atencioso me fazendo deseja-lo ainda mais meu corpo respondia a cada toque
ainda ali o castigo continuou ele me chicoteou e usou uma  apenas senti doía, mas apesar de não ser
masoquista tolerei a dor e não usei as palavras. Eu temia  não sabia por quanto tempo mais seria castigada
eu não suportaria. Logo ele me soltou fui no carro pegar o cigarro dele. Nua e algemada  nos pés .. as
correntes eram pesadas  meus tornozelos estavam marcados ele me observou descendo e subindo.

Ele foi gentil como nenhum outro naquela situação saberia ser com respeito  mutuo quando acabamos o
cigarro ele me pediu pra beija-lo todo eu o fiz com todo o prazer o chupei e sentia o prazer dele ...ele me
deseja e eu o adoro. Montei meu dono pra frente e pra traz como ordenou  permitiu meu orgasmo mais
uma vez logo gozamos juntos ele dentro de mim mais uma vez marcando seu  território fui dele de todas
as formas e foi maravilhoso. Sinto-me completa protegida cuidada pelo meu dono.

Dono do meu corpo da minha mente dos meus orgasmos. nos banhamos nos vestimos e viemos embora.

Despedindo-nos da tarde incrível. Meu corpo já não tem mais marcas mas deixa-lo ir foi a marca eterna eu
ficaria ali  com ele a seu dispor por dias e noites..agora sou carne da tua carne desejo sucumbido..Sua!  
Aos que precisam de ajuda e esclarecimento sobre BDSM, e só mandar email para mim, com prazer estarei ajudando aos que precisam